Relação pais e filhos: como os exemplos influenciam no aprendizado

Tempo de leitura: 5 minutos

Relação pais e filhos: como os exemplos influenciam no aprendizado

“A palavra convence, mas o exemplo arrasta. Não se preocupe porque seus filhos não te escutam, mas te observam todo o dia”. Madre Teresa de Calcutá.

Para uma criança viver ativa e saudável é preciso que ela também conheça e conviva com os pilares de:

1. Ter um sono adequado
2. Comer alimentos naturais
3. Praticar atividades físicas
4. Manter relações interpessoais com seus amigos
5. Estudar, respeitar os mais velhos e aprender a conviver entre os demais.

Assim como os adultos, tem deveres e direitos em suas devidas proporções.

Antigamente o método de ensino para as crianças era basicamente o tradicional e existiam algumas variações.

Hoje, os professores e nós pais já conseguimos aliar os estudos com a criatividade e ludicidade.

Os métodos mais contemporâneos já valorizam os conteúdos que cada criança leva para o mundo escolar.

São os conteúdos aprendidos e vivenciados em família, ou com suas próprias experiências.

O acompanhamento dos pais facilita o aprendizado dos filhos?

Na minha opinião de psicóloga e mãe de três filhos, faz total diferença.

Pois o acompanhamento funciona como um estímulo as crianças a valorizarem desde muito cedo o mundo escolar.

Com isso, desenvolvem com maior fluidez o raciocínio e em consequência, obtêm mais prazer pela aquisição do conhecimento com o decorrer da vida.

Contudo, é fundamental que este momento seja tranquilo, leve, construtivo, criativo e recheado de amor.

Pois, quando nós pais doamos um precioso tempo de estudo aos nossos filhos com amor, dedicação, comprometimento isso reflete no processo de aprendizagem.

A interação assertiva, congruente e efetiva entre pais e filhos possibilita autoconfiança e desenvolvem os vínculos afetivos.

Ou seja, irá repercutir numa melhor constituição deste indivíduo, desta criança e nas fases subsequentes.

Quando acompanho meus filhos, que possuem idades diferentes, preciso ser ágil e versátil, tenho que compreender e encorajar cada um em suas fases.

Com isso, preciso verificar como eles estão, valorizar seus esforços/dedicação, ensinar e dialogar.

Dicas

Com meu filho mais velho, que vai completar 11 anos e já faz prova, minhas estratégias de estudo são bem diferentes das que meus pais utilizavam comigo quando eu era criança.

Eu me coloco muito curiosa sobre o assunto que iremos estudar sem ao menos ter aberto o livro.

Apenas pego o cronograma e já sondo, pergunto, questiono, procuro compreender o que ele já domina.

Ele fica visivelmente feliz quando faço isso. Aparece um brilho no olhar para mostrar o que aprendeu.

Sinto muito orgulho de vê-lo assim!

Educar filhos com prazer

Sempre digo que educar vai muito mais além do que gerar, alimentar e matricular numa escola.

Precisamos construir um mundo mais humanizados, as crianças são excelentes observadoras.

O mundo precisa de mais amor, respeito, educação, cordialidade, ética, ou seja, com mais valores.

Contudo, seus filhos só irão valorizar o SER a invés do TER se você mostrar o caminho.

Ou seja, cuidado pais que só falam e valorizam os bens materiais, comprar, comprar e comprar.

Não é porque você tem muito dinheiro que seus filhos não precisam ter limites.

Os limites são indispensáveis para criarmos indivíduos sociáveis e empáticos.

Motivação para aprender

Por isso, é tão importante estabelecer uma ponte com via de mão dupla, um canal para uma comunicação aberto com seu filho.

De acordo com o INSPER-SP (Instituto de Ensino e Pesquisa de São Paulo), estimular um jovem a realizar as atividades de casa, frequentar à escola regularmente e ir às reuniões pedagógicas na escola, é suficiente para elevar em 15% o rendimento dos alunos.

Como participar ativamente da educação do seu filho

1. Veja diariamente a agenda e as tarefas de casa.

2. Demonstre interesse em saber como foi seu dia e o que teve de interessante ou de corriqueiro.

3. Providencie um local adequado para os estudo

4. Só falte as reuniões escolares quando realmente for necessário.

5. Estimule a autonomia (exemplo: a partir de amanhã eu não precisarei mais pedir para você abrir a mochila e pegar suas tarefas. Após o banho e almoço, já pode fazer suas atividades. Caso você tenha alguma dúvida, estarei aqui no meu quarto – crianças de 5 anos, dependendo da maturidade e desenvolvimento já devem ser estimuladas). Desta forma, eles se sentem cada vez mais capazes.

6. Crie hábito de leitura no seu filho, pois a criança que só lê o conteúdo em véspera de prova não consegue assimilar da mesma forma que aquela que leu para responder, leu durante a semana e releu com um adulto ampliando alguns conceitos e informações.

7. Interaja, não se prenda apenas ao papel, dê asas a sua imaginação, dê exemplos de fatos, busque vídeos adequados para idade de seu filho no Youtube sobre o conteúdo estudado, amplie. Incluir o mundo digital no processo educativo faz parte. As nossas crianças nasceram nesta era. Tudo com moderação e equilíbrio, claro!

8. Respeite as diferenças em seu dia a dia. Dê o exemplo. Perceba que cada criança tem um tempo diferente de aprendizagem. Evite comparações entre filhos. PRINCIPALMENTE, na frente deles. Esta é a melhor maneira de criarmos seres livres de preconceitos.

9. Desenvolva a empatia dos seus filhos. Mostre as suas crianças que não é correto rir enquanto o outro não está bem.

Quer um mundo melhor e mais saudável?

Que tal olhar para os seus exemplos e pensar como eles estão refletindo no dia a dia de seus filhos.

Leia também

Filhos: como consigo obter excelentes comportamentos

Melhore sua vida: o poder das escolhas

Amor: ele nasceu com autismo e eu renasci como mãe