Aprenda a evitar alguns problemas na GRAVIDEZ através dos alimentos

Tempo de leitura: 6 minutos

Gravidez: evitando os problemas desta fase com alimentação adequada

Para Viver Ativo e Saudável precisamos estar alinhados aos nossos valores, definir metas e concretizar sonhos.

Sabemos que a gestação é uma fase da vida da mulher, onde ocorrem mudanças em seu corpo para que venha a acomodar uma nova vida em seu interior.

Mas essas modificações, devido a sua situação pré-natal, hereditária e/ou nutricional, podem sobrevir alguns incômodos e até patologias acometendo às mães nessa época.

Então muitos desconfortos são bem característicos ao período gestacional e, geralmente, não oferecem risco algum à vida materna e fetal.

Ao contrário de outros problemas que merecem toda a atenção da mãe, do especialista que a acompanha e da família.

Estes, caso não tratados, podem desencadear má-formação do bebê ou ainda levar a mãe ou o feto, ao óbito.

Tanto os incômodos simples como os problemas mais graves podem ser evitados ou amenizados.

Vamos aprender como?

Seguem-se abaixo alguns deles e o tipo de alimentação capaz de prevení-los ou auxiliar no tratamento.

Anemia na gravidez

A necessidade de ferro da gestante é aumentada.

Logo, a carência desse nutriente pode causar anemia na mamãe, o que faz com que as células do seu corpo não recebam o oxigênio necessário.

Portanto, consuma alimentos como as carnes vermelhas, carnes em geral, vegetais verde-escuros, leguminosas como feijão, grão-de-bico e ervilha, além dos cereais integrais quinoa e aveia, são ricos em ferro e colaboram no combate à anemia.

Constipação na gravidez

A prisão de ventre pode aparecer ou até progredir na gravidez.

Isso ocorre devido à grande quantidade do hormônio progesterona produzido nessa fase, o qual possibilita uma redução na contração muscular intestinal.

Porém, o consumo das fibras presentes nas frutas como ameixa, mamão, laranja e abacaxi auxilia a formação do bolo fecal mais maleável.

Como também os vegetais folhosos e legumes como quiabo, cenoura e tomate são excelentes opções de consumo.

Tem os cereais integrais diversos que irão, juntamente com o consumo de água e a prática de exercícios regulares, aliviar a constipação que tanto incomoda as grávidas.

Retenção de líquidos na gravidez

A retenção de líquidos pode ser o resultado do excesso de peso, de alterações hormonais ou até mesmo de alta pressão arterial na mãe.

Então, deve-se reduzir o consumo de sal adicionado às refeições e evitar produtos industrializados que contêm teores muito altos desse composto.

Ampliar a ingestão de alimentos ricos em potássio como água de coco, couve, laranja, tomate, iogurte desnatado, abacate e banana favorecem a liberação dos líquidos retidos.

Azia (pirose)

A progesterona também causa o relaxamento do esfíncter esofágico inferior.

Desse modo, faz com que os ácidos estomacais acabem emergindo ao esôfago causando a queimação que caracteriza a azia.

Assim é conveniente evitar:

  1. Alimentos quentes;
  2. Alimentos condimentados;
  3. Alimentos gordurosos;
  4. Deitar-se logo após a alimentação.

Melhores práticas:

  1. Fracionar mais as refeições;
  2. Diminuir o volume das refeições;
  3. Comer devagar.

Desta forma, abrandarão mais os episódios de pirose.

Estrias na gravidez

O comum acréscimo de peso na gestação pode ocasionar o aparecimento de estrias no corpo da gestante, o que não é nada agradável para as mulheres.

Para evitá-las é recomendável a ingestão de alimentos ricos em:

Vitamina E:

Nozes, sementes e castanhas, óleos consumidos frios, ovo, abacate, entre outras.

Vitamina C:

Pois, estimulam a geração de colágeno. Como a acerola, a goiaba, o morango, o mamão, o tomate, o brócolis, entre outras.

Infecção urinária na gravidez

Essa infecção muitas vezes é demonstrada com sintomas como vontades recorrentes em ir ao banheiro, porém com pouco volume de urina, dor ao urinar, entre outros.

Mas, em outros casos os indícios podem não aparecer. Dessa forma, é muito importante a realização dos exames necessários a esse diagnóstico.

Geralmente, o tratamento é feito através de medicamentos específicos, contudo uma alimentação adequada contribui com a cura e a prevenção do aparecimento da patologia em questão.

Assim, beber bastante água e líquidos durante o dia é essencial.

Bem como consumir alimentos diuréticos como:

  • melancia
  • abacaxi
  • laranja
  • limão
  • pepino
  • cebola
  • uva
  • berinjela

Frequentemente, estes alimentos ajudam as mamães que sofrem ou têm a probabilidade maior em sofrer esse tipo de infecção.

Hipertensão na gravidez

Um maior cuidado deve ser dado às grávidas que já eram hipertensas antes da concepção e àquelas que possuem predisposição genética para isso.

No entanto, a hipertensão pode surgir também em mulheres que nunca possuíram esse problema.

A presença de pressão alta pode causar nesse momento da vida, a participação no diagnóstico de pré-eclampsia.

Por isso, este é concedido ligadamente com excesso de proteína na urina ou insuficiência hepática.

Maior perigo há, caso a pré-eclampsia se manifeste gravemente como na forma vista na eclampsia.

Esta é representada por convulsões e pode trazer riscos à vida da mãe e do bebê.

Desta forma, manter uma dieta baixa em sódio e reduzir a adição de sal nas preparações, evitando alimentos:

  • embutidos, enlatados e industrializados em geral e a ingestão adequada de potássio (alimentos citados no tópico: Retenção de líquidos), magnésio e cálcio auxiliam no controle da pressão arterial.

Fontes de magnésio: sementes e castanhas, aveia, espinafre, banana, iogurte natural.

Fontes de cálcio: leite e derivados (de preferência os menos gordos), chia, brócolis, espinafre, sardinha, tofu.

Diabetes gestacional

A diabetes gestacional pode manifestar-se por causa das transformações hormonais ocorridas, e na maioria das vezes é curada após o nascimento do bebê.

Mulheres acima de 35 anos têm o risco aumentado para desenvolvê-la.

Então, para conseguir evitar ou reverter esse quadro, é preciso manter uma alimentação pobre em açúcares simples como bolos, refrigerantes, doces, sorvetes e frituras.

Também é importante optar por cereais na forma integral como o arroz, o macarrão e o pão.

Legumes e verduras em sua pluralidade e as frutas frescas (priorizando consumi-las com a casca e bagaço) como maçã, pêra, laranja e tangerina, colaborarão para que sejam estabilizados os níveis de glicose no sangue.

A gestação pode ser um momento mais confortável e prazeroso para as mamães. Por isso que nos importamos em trazer conteúdos que possam melhorar a sua qualidade de vida.

Alimente-se melhor e desfrute tranquilamente dessa época tão especial.

Leia também:

Alimentos diet e light: você conhece mesmo as diferenças?

Alimentação infantil de 0 a 2 anos de vida – o que ofertar e o que evitar?

Gorduras boas e ruins: Mantenha o equilíbrio no consumo

 

1 comentário


  1. Dicas super importantes.Obrigada pelas informações, pois são essenciais nessa fase linda e ao mesmo tempo tensa que é a gestação!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *